Richard Thaler ganha o prêmio Nobel de Economia 2017

O economista norte-americano Richard H. Thaler, professor da Universidade de Chicago, é o ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2017. O reconhecimento se deveu às suas contribuições na área de economia comportamental. O anúncio foi feito nesta segunda-feira pelo secretário geral da Real Academia Sueca de Ciências, professor Göran Hansson.

Richard H. Thaler nasceu em 1945 na cidade de East Orange, estado de New Jersey. Concluiu seu doutorado em 1974 e escreveu vários livros sobre o assunto que lhe rendeu o prêmio – entre eles, destacam-se Nudge – O Empurrão Para a Escolha Certa e Comportamento Inadequado – A Construção da Economia Comportamental, já traduzidos para o português. Thaler também destacou-se como colunista do Journal of Economic Perspectives entre 1987 e 1990 com uma coluna chamada Anomalies (Anomalias), na qual analisava casos individuais da economia comportamental que violavam a teoria microeconômica tradicional.

Thaler incorporou pressupostos psicologicamente realistas às análises de tomada de decisão econômica, explicando como esta é afetada pela racionalidade limitada, preferências sociais e falta de autocontrole. Desenvolveu a teoria da contabilidade mental, explicando como as pessoas simplificam a tomada de decisões financeiras por meio de contas separadas em suas mentes e verificando o impacto individual em vez do efeito geral. Demonstrou também que a aversão às perdas faz com que as pessoas valorizem mais um item quando o possuem do que quando não o possuem.

A questão das preferências sociais foi analisada pelo economista para mostrar como a preocupação dos consumidores com o conceito de justiça faz com que as empresas evitem aumentar os preços em períodos de alta demanda, mas não em tempos de aumento de custos. E ao analisar questões referidas ao autocontrole, Thaler usou quadros muito semelhantes aos que os psicólogos e neurocientistas usam hoje para descrever o processo de decisão entre planejamentos de longo prazo e escolhas de curto prazo e até inventou um termo – “nudge” – para um método que ajuda as pessoas a terem mais autocontrole para economizar para uma aposentadoria.

A entrega do prêmio de 9 milhões de coroas suecas – o equivalente a 1,1 milhão de dólares – acontecerá em Estocolmo no dia 10 de dezembro, aniversário da morte de Alfred Nobel.

O Prêmio Nobel

O Prêmio Nobel foi criado em 27 de novembro 1895, no testamento de Alfred Nobel, cientista sueco que ficou muito rico com a invenção da dinamite. As áreas premiadas eram: Física, Química, Medicina ou Psicologia, Literatura e Paz. Os prêmios começaram a ser entregues em 1901.

Em respeito ao testamento de Alfred Nobel, nenhuma outra área de atuação é acrescentada nas premiações. A única exceção foi a Economia. Isso porque em 1968 o Banco da Suécia, instituição que atua como banco central do país, comemorando seu tricentenário, instituiu o “Prêmio do Banco da Suécia de Ciências Econômicas em memória de Alfred Nobel”, patrocinado pelo próprio banco. Por esta diferença, ele não leva o nome de “Prêmio Nobel” em sua nomenclatura oficial, mas é anunciado na segunda-feira seguinte à semana em que são divulgados os ganhadores dos prêmios Nobel e entregue na mesma data, além de ter o ganhador escolhido também pela Real Academia Sueca de Ciências.

O primeiro Prêmio Nobel de Economia foi entregue em 1969 para o norueguês Ragnar Frisch e para o holandês Jan Tinbergen. Nesta área, a maioria dos premiados são norte-americanos (vários deles naturalizados) e apenas uma mulher foi contemplada: a americana Elinor Ostrom. Embora tenha havido na última década uma tendência à divisão do prêmio entre vários economistas, em três dos quatro últimos anos o prêmio foi entregue a apenas um ganhador.

Texto: Ascom Cofecon

Fale conosco

Conselho Regional de Economia do Pará e Amapá


Tel: (91) 3242.0207 / 3223.1988
E-mail: adm@coreconpara.org.br​
Endereço​​​​​​: 

Rua Cônego Jerônimo Pimentel, 918 - Belém/PA
Cep: 66055-000

© 2017 por Ascom Conselho Regional de Economia - 9ª Região