Carga Tributária avança para 32,43% do PIB, segundo Receita Federal

Template_Matéria.png

A Receita Federal divulgou hoje (3), a carga tributária do Produto Interno Bruto em 2017. De acordo com os dados o índice atingiu 32,43%, o maior em quatro anos.

Comprado ao ano de 2016 (32,29%), a carga tributária avançou 0,14%. Segundo a Receita, a variação é resultado da combinação dos acréscimos em termo reais (descontada a inflação) de 0,99% do PIB e de 14% da arrecadação tributária nos três níveis de governo.

Os programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) e a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), foram os que mais influenciaram no avanço entre os tributos da esfera federal, responsáveis pelo crescimento de 0,21%. Segundo a Receita, o acréscimo decorreu principalmente da elevação das alíquotas sobre combustíveis (gasolina e diesel).

Enquanto que as maiores reduções se devem ao Imposto de Renda sobre a Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), responsáveis por um decréscimo de 0,35%.

Quanto aos tributos estaduais, houve acréscimo de arrecadação em relação ao ano anterior do Imposto sobre a Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) de 0,12%.