210790.jpg

A União Europeia decidiu, nesta 2ª feira (20.mai), proibir 90% da importação de petróleo russo em todo o bloco até o final de 2022. A nova sanção econômica contra a Rússia foi anunciada após reunião de líderes europeus, com o objetivo de discutir iniciativas de apoio à Ucrânia durante a guerra.

O embargo cobre somente o petróleo russo transportado pelo mar, isentando, portanto, os demais 10% importados via oleoduto. A exclusão desse percentual foi um dos termos necessários para que garantir o apoio da Hungria - que não possui saída para o mar -, na votação

O presidente do Conselho da União Europeia, Charles Michel, garantiu que o acordo fechado nesta 2ª feira cobre mais de dois terços das importações de petróleo da Rússia. Já a presidente do bloco, Ursula Von der Leyen, declarou que a medida "cortará efetivamente cerca de 90% das importações de petróleo da Rússia para a UE até o final do ano".

O novo pacote de sanções incluindo ainda o congelamento de ativos, a proibição de viagens de indivíduos e a exclusão do maior banco da Rússia, o Sberbank, do Swift, o sistema global de transferências financeiras. Três grandes emissoras estatais russas também foram proibidas de transmitir seus conteúdos para a UE.

 

Após o encontro, foi anunciado ainda um novo pacote de socorro econômico à Ucrânia, no valor de US$ 9,7 bilhões. Não ficou claro, porém, se a ajuda, destinada à recuperação da economia do país invadido, será entregue no formato de doações ou de empréstimos.

Fonte: SBT News